23
Jun 08

 

O presidente da Câmara de Barrancos, António Tereno, defendeu a cooperação entre as autoridades de saúde portuguesas e espanholas para a assistência à população do concelho 24 horas por dia e com menores custos.
A vila de Barrancos, com quase dois mil habitantes e cujo centro de saúde fecha às 19h00, está localizada a dez quilómetros do serviço de saúde da povoação espanhola de Encinasola e a cerca de 50 da cidade de Moura, também no distrito de Beja.
“Coitado do doente que tem de percorrer a estrada até Moura, que está em péssimo estado”, advertiu o autarca (CDU), indicando que, ao invés, o acesso a Encinasola, além de mais curto, é feito por uma via em boas condições.
O centro de saúde de Barrancos é serviço durante a semana por um médico, português, contratado pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, enquanto ao fim-de-semana os cuidados médicos são prestados por um clínico, também português, “pago pela Câmara Municipal”, explicou o autarca.
No entanto, o centro de saúde fecha as portas às 19h00 e até ao outro dia de manhã, a população, segundo António Tereno, tem de se socorrer dos serviços de saúde em Moura ou em Encinasola.
“Já apresentei a proposta à ARS [Administração Regional de Saúde] do Alentejo para a assinatura de um acordo com as autoridades de saúde da província de Huelva, em que se integra Encinasola”, disse.
António Tereno justificou a colaboração com as autoridades de saúde espanholas com a necessidade de prestação de cuidados de saúde 24 horas por dia à população de Barrancos e com a poupança de recursos financeiros, em deslocações.
“Moura fica a 50 quilómetros de Barrancos e com uma estrada em péssimo estado”, alegou.
Além dos dois clínicos que prestam serviço em Barrancos, um através da ARS e outro contratado pelo município (fins-de-semana), a população é ainda servida por duas médicas de Moura que prestam apoio em consultas de vigilância, como saúde infantil e planeamento familiar.
A directora do centro de saúde de Barrancos, Helena Arvelos, considerou que a cobertura de Barrancos, em termos de cuidados médicos, “não é muito má”.
“Se houvesse mais médicos, era melhor”, admitiu.

 

 

publicado por Teddy69 às 15:57

Hehehe...Esta noticia tem a sua certa piada...Quer dizer,é mais importante arranjar os acessos a Barrancos que o Centro de Saúde?
Talvez com um bom centro de saúde não era preciso preocuparmo-nos tanto com as estradas...
E talvez se o Sr. António Tereno olha-se para trás e vi-se o dinheiro "empatado e mal gasto" num cineteatro que esta fechado à muito tempo,pensaria que o tal centro de saude é melhor que o divertimento das "massas"...
Sem saúde não há divertimento...
Teddy69 a 23 de Junho de 2008 às 16:21

Nem mais! Os políticos tem de ter a capacidade de perceber o que é essencial e o que é acessório"

Calma malta que no programa eleitoral dos comunas o António Tereno disse que Barrancos iria ter não 1, nem 2, mas sim 5 médicos se ele ganhasse as eleições. Como falta ainda 1 ano para o fim do mandato é questão de esperar!!!!!!!!
Pode ser que algum ditador de algum País governado pelo PC (Vietname, china, cuba, etc) deporte algum médico para barrancos a pedido do PC local.
123 a 25 de Junho de 2008 às 12:05

Bem só esses médicos chegam?Era melhor encomendar mais alguns...Mas como deve haver algum tipo de greve nos CTT os assim tardam em chegar ao seu destino..Temos 2 e mesmo assim não chegam...Só resta esperar...Talvez um dia,alguem cumpra com o que promete(sonho impossivel de realizar nos dias que correm)...
Teddy69 a 25 de Junho de 2008 às 13:01

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30


arquivos
Visitantes
Site Counter
Bpath Contador
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO